Honda CRF250R, apresentação

A Honda CRF250R de 2013 representou uma evolução cuidadosa do modelo anterior, uma moto que venceu os dois campeonatos de Supercross Lites dos E.U.A. em 2012. Participando num campeonato bastante equilibrado, a CRF250R tem provado, de forma consistente, ser um conjunto completo e vencedor. Agora surge totalmente revista.

130516_Honda_CRF250R_1.jpg

Para 2014, os engenheiros do HRC escolheram revolução em vez de evolução e actualizaram a CRF250R, dotando-a com o mesmo quadro dupla trave em alumínio com centralização de massas e filosofia de design da fantástica CRF450R. Do mesmo modo, também o motor e o sistema de injecção PGM-FI receberam actualizações para melhorar a potência, o binário e o controlo do acelerador, reduzindo o peso ao máximo possível.
 

Características
Preço: por definir
Cilindrada: 249 cc
Potência:  não divulgado
Peso: 105,7 kg
 
Destaques
Ciclística totalmente nova
Maior centralização de massa
Actualização do motor
Maior controlo de pilotagem

Galeria de imagens


No coração das transformações da CRF250R para 2014, temos o quadro dupla trave em alumínio estreado na CRF450R de 2013. O baixo centro de gravidade e a reduzida inércia, oferecidos por este novo quadro, ajudam a melhorar as já fantásticas características de pilotagem da CRF250R no chão e, talvez ainda mais importante, no ar. As melhorias internas introduzidas na forquilha invertida dianteira Showa de 48 mm são complementadas por um novo e compacto amortecedor traseiro, também realizado pela Showa e por uma suspensão traseira Pro-Link revista e braço oscilante de novo design, fabricado em alumínio.

Sempre fantástica em termos de maneabilidade, oferecendo uma potência incrível em toda a ampla gama de rotação, o motor de 249 cm³ recebeu uma série de actualizações pelos engenheiros do HRC, incluindo alterações de fundo no sistema de injecção PGM-FI, no fluxo dos gases pela cabeça do motor, bem como na eficiência da admissão e do escape.
A nova CRF250R foi aperfeiçoada ao máximo e, mais uma vez, o HRC criou uma moto com um puro estado de equilíbrio.

Ciclística
O HRC começou por uma série de requisitos para o quadro dupla trave MX em alumínio de sexta geração: melhorar a tracção dianteira e traseira, a estabilidade e a travagem a alta velocidade, para além de uma sensação de pilotagem muito mais leve ao curvar e virar em todas as condições e situações. Em todos os aspectos, o novo quadro da CRF250R vem revolucionar a sua classe.

É um componente completamente redesenhado. Com um peso de apenas 9,35 kg, a intersecção da junção das traves da coluna da direcção e da estrutura principal do quadro é, agora, realizada num ponto muito mais baixo no tubo da coluna da direcção, mais próximo do ponto médio do que do topo. Esta alteração ajuda a baixar o centro de gravidade e oferece uma flexão mais "sintonizada" ao quadro, para melhor aderência dianteira com maior velocidade ao curvar.

A geometria da direcção (27,23° de inclinação, 116,7mm de avanço e 1,489mm de distância entre eixos) tira partido dos melhorados parâmetros de performance do quadro e dá uma ligação mais directa ao pneu dianteiro, com maior sensibilidade da aderência disponível. Combinada com o mais baixo centro de gravidade, a transição de um lado para o outro está mais fácil, aumentando bastante a confiança do piloto e reduzindo o cansaço. O peso em ordem de marcha é de 105,7kg.

O apoio superior do amortecedor traseiro Showa está 14,5 mm mais baixo no quadro e o próprio amortecedor é fisicamente 14,5 mm mais pequeno e apresenta relações revistas do amortecimento em extensão e em compressão e mola com peso actualizado. O novo braço oscilante em alumínio oferece maior rigidez graças a maior altura das travessas nas secções dianteira e central, minimizando a flexão e melhorando a tracção do pneu traseiro à saída das curvas. O amortecedor traseiro, totalmente ajustável, possui 17 níveis de regulação em extensão e 13 posições de ajuste separado para a compressão a baixa velocidade e 3,5 voltas a alta velocidade.

Os pneus 80/100-21 à frente e 100/90-19 atrás são de baixo peso, reduzindo a massa não suportada. O disco ondulado dianteiro de 240 mm e a pinça de dois pistões são protegidos por uma cobertura de duas peças; o disco traseiro, também ondulado e de 240 mm e a respectiva pinça de pistão simples também estão protegidos por uma cobertura.

Motor
Durante este ciclo de desenvolvimento, os engenheiros de competição do HRC centraram a sua atenção num número de áreas com vista a melhorar a potência e a respectiva entrega do motor da CRF250R. A unidade de 249 cm³, refrigerada por líquido, quatro válvulas Unicam sempre foi impressionante, com a sua ampla gama de potência útil, em qualquer zona da gama de rotação, juntamente com respostas vivas e instantâneas ao acelerador. Os objectivos para esta unidade complementam a sua utilização abrangente e fantástica potência de topo.

A eficiência da combustão foi melhorada, graças ao pistão de maior compressão (aumentada de 13,2 : 1 para 13,5 : 1) e a cabeça do motor e aberturas de admissão/abertura do escape reformuladas. O diâmetro e o curso permanecem nos 76,8 x 53,8 mm; os 30,5 mm de diâmetro das válvulas de admissão em titânio e os 25 mm de diâmetro das válvulas de escape em aço não sofreram alterações. Para melhorar a durabilidade, a caixa de 5 velocidades foi revista. A melhoria de potência e binário focaram-se na baixa e média faixa de rotações.

Tal como a CRF450R de 2014, esta versão de menor cilindrada recebeu novos mapas de injecção, com injector de duplo ponto e ângulo revisto. A caixa de ar de "especificação CRF450R" está acoplada a uma conduta desenhada especificamente para a CRF250R e a dupla ponteira traseira – mais uma vez, com medidas de centralização de massas – são exclusivas da CRF250R.

De momento, tanto preço como data de comercialização em Portugal, estão por confirmar.


Publicado em 2013-05-16 07:05:00